Notícias

"Faltou fazer mais um golo, faltou eficácia" Pedro Martins

on .


Pedro Martins, treinador do Marítimo, analisa o jogo frente ao Sporting, válido para a 3ª jornada da Liga, que terminou empatado a uma bola

[A que sabe este resultado?] «Estou muito satisfeito com a equipa, um grande jogo de futebol, mas tenho de dizer o que vai no íntimo do grupo. Não é frustração mas sim amargo na boca, pois podíamos ter vencido o jogo»

[O técnico do Sporting diz que a sua equipa foi superior¿] «Respeito a opinião do Sá Pinto, foi meu colega, é profissional como eu e não vou fazer considerações sobre o que disse. Sobre o jogo, penso que os primeiros 45 minutos forma dominados por nós, com o Sporting a ter dois ou três remates à nossa baliza, enquanto temos duas situações flagrantes, uma do Rafael Miranda e outra do Sami, tudo em ataque planeado e transições. Não me lembro de o Sporting ter entrado na nossa muralha defensiva, a não ser por remates, como foi o do Cedric de fora da área. Na segunda parte entraram muito em 15 minutos fizeram o golo, tendo ainda mais uma boa oportunidade. Mas dai em diante, voltámos a tomar conta do jogo e penso que fomos superiores até ao final».

[O que faltou para a vitória?] «Faltou fazer mais um golo, faltou eficácia, pois tivemos um caudal ofensivo tremendo. Quando fizemos o empate, encostámos o Sporting ao seu reduto defensivo, praticamente não saíram da sua área, isso diz tudo da capacidade da equipa e do querer vencer. O Sporting teve um jogador que desequilibrou que foi o Carrillo»

[Acha que a sua equipa está cansada?] «Não. A equipa está bem. Hoje foi um jogo muito intenso mas demos uma resposta fantástica e a prova disso são os últimos 15 minutos. Na quinta-feira, tenho a certeza que a equipa estará fresca e vai corresponder da mesma forma. Estamos preparados para o grau de dificuldade que vamos enfrentar. Assino por baixo que nesta fase têm tempo para recuperar».

Vitória seria o resultado justo

on .


O Marítimo empatou a uma bola, frente ao Sporting, num jogo com superioridade por parte dos verde rubros.

Pedro Martins voltou a apostar na táctica que surpreendeu os leões na época passada, com um trio veloz na frente de ataque, sem ponta-de-lança fixo. E com os passes de David Simão, Heldon e Sami forma cirando problemas a uma defesa pouco veloz.
Logo aos 9 minutos, após uma boa combinação entre Heldon e Sami, este assistiu David Simão mas o remate saiu muito por alto.

Já perto da meia hora, um canto apontado por Rúben Ferreira deu origem a mais um lance em que João Guilherme quase surpreendia Rui Patrício.

O técnico sportinguista bem chamava os seus pupilos mas o futebol produzido era pouco. Só aos 39 minutosm Izmailov obrigou Salin a defesa apertada para canto. Na sequência desse canto, Cedric surgiu sozinho a rematar para grande defesa de novo do guarda-redes francês.

Até ao intervalo, jogou-se mais a meio campo, lutou-se, mas quanto a golos: nada.


No recomeço, mesmo sem alterações, o Sporting pareceu querer agarrar mais a partida. Mas os pupilos de Pedro Martins em contra-ataque eram sempre perigosos. E aos 51 minutos, um cabeceamento de Rafael Miranda foi salvo por Cedric sobre a linha de baliza, com Patrício batido.

E contra a corrente do jogo, Izmailov faz um excelente passe que isola Wolfswinkel e este com classe bate Salin e coloca o Sporting em vantagem, quando pouco ou nada tinha feito para estar na frente. Eficácia.

Os madeirenses abanaram e aos 58 minutos, os lisboetas tiveram um livre em zona frontal, mas Adrien rematou contra a barreira.

O central João Guilherme perdeu uma boa situação para alvejar a baliza dos leões, após um livre e uma saída em falso de Patrício. Mas o brasileiro rematou muito mal.

O Sporting foi crescendo e esteve quase a fazer o 0-2 aos 67 minutos por Capel, mas Salin negou o golo num voo incrível, defendendo sobre a linha de baliza. Dois minutos depois, Wolfswinkel também esteve perto de bisar.

A resposta dos verde-rubros aconteceu aos 71 minutos, com um bom passe de Sami para David Simão e o remate deste saiu muito perto da baliza leonina.

Já com chuva, o jogo tornou-se mais partido. Os madeirenses procuravam o empate, os sportinguistas tinham mais espaços para jogar.

Rui Patrício salvou a sua equipa aos 77 minutos, ao defender para canto um excelente cabeceamento de Fidelis que ganhou entre os centrais do Sporting.

Sá Pinto sentiu que era importante dar tranquilidade à sua defesa e lançou Carriço aos 83 minutos, na tentativa de segurar a vitória.

Mas João Guilherme num livre direto aos 86 minutos, colocou justiça no resultado, num remate indefensável para Patrício. Até ao final, os locais empolgados pelo seu público estiveram perto da vitória, com Adilson em destaque mas a não conseguir finalizar.

Foram emotivos os minutos finais com as duas equipas a darem tudo por tudo para a vitória, mas o marcador não se alterou. O Sporting continua sem vencer e o Marítimo ainda não conheceu o sabor da derrota, quer na I Liga, quer nas partidas europeias que já disputou.

Templários celebram 17º Aniversário

on .



A claque de apoio Templários celebram no dia de hoje, 17 anos de existência.
Foram anos de apoio incondicional ao noso C S Marítimo. Pelo meio, muitas dificuldades e de certeza muitas histórias para contar.
O CSMarítimo-Online quer desejar os sinceros parabéns e votos de muitos mais anos de apoio, em prol do maior das ilhas.

A "Voz Verde Rubra" de hoje  é o fundador da claque, João Miguel Ferreira:

Ultras Templários – 17 Anos de Vida!

Os Ultras Templários celebram no dia de hoje o seu 17º Aniversário, motivo pelo qual escrevo esta “carta aberta”, motivo pelo qual me enche de orgulho de pertencer a esta família e motivo para que me sinta um previligiado por ter sido fundador do mesmo.

Alguns dos actuais membros, têm a mesma idade do grupo, alguns, até mais novos que o próprio grupo, ou se quizermos, hoje apoiamos jogadores como Salin (11 anos de idade à data da nossa fundação), Roberge (8 anos de idade à data da nossa fundação), ou o Ruben Ferreira (5 anos de idade à data da nossa fundação), e isto por si só exemplificará a importância da História do grupo na vida do clube, este que é a nossa razão de ser. Arrisco a dizer que o passado recente do clube se mistura com a História do grupo, pois já acompanhamos o clube em conquistas europeias, à presença numa final de taça, a viagens pela Europa, e tivemos um papel diria que fulcral, no famoso episódio no Estádio dos Barreiros, quando AJJ teve que abandonar o mesmo, dia de muito trabalho de bastidores... pondo sempre os interesses do clube em primeiro lugar!

Esta data ainda é mais marcante, quando pensamos que resistimos, e sobrevivemos a vários tipos de preconceitos que existiam na nossa Ilha, e alguns ainda os existem, é ainda mais marcante quando pensamos que os maiores apoios recebidos foram sempre dos seus próprios elementos, como de anónimos adeptos do Marítimo, é ainda mais marcante quando resistimos a ataques, repressão e calúnias, é ainda mais marcante quando vemos que hoje existe claramente uma geração 100% Marítimo, razão pela qual digo sempre... “e tudo valeu a pena”!

De momento resido fora da Região, inclusivé fora do País, mas nem mesmo estando fora se existe um corte com o dia a dia do grupo, pois continuo activamente a ajudar o grupo no que quer que precisem, não como obrigação, não por capricho, mas sim porque quando dizemos que “Uma vez Templário... Templário até morrer!” é de facto sentido, pois não renego a minha “família” e me identificarei sempre com esta maneira apaixonada de viver o Enorme CS Maritimo!

A finalizar agradeço a todos os que contribuiram e contribuem para que este grupo complete esta marca no dia de hoje, desde ex jogadores a actuais jogadores, ex dirigentes a actuais dirigentes, a ex claques do CS Maritimo (Juve Verde Rubra e Brigadas, das quais pertenci e quem me influenciou a seguir com este projecto), adeptos do CS Maritimo, alguns dos quais infelizmente já não se encontram entre nós, e acima de tudo a todos os membros desta já enorme família que seguem com este legado, e que continuam apoiar o projecto e a razão da nossa existência... o CS Marítimo!

Bem haja a todos vós!

Bem haja a todos nós!

Bem haja o Marítimo!

Desde 13/09/1995...

O Fundador – João Varela

PS. Aproveito e convido a todos os interessados em conhecer um pouco mais sobre o grupo que visite o seguinte link: http://sentimentocsm1910.blogspot.ie/2011/07/ultras-templarios-1995-historia.html