“FCP vs ......” por André Ladeira

on .


Caros Maritimistas,

Na passada Sexta Feira, o CSM deslocou-se à casa do Campeão Nacional, o Futebol Clube do Porto,  confesso que as minhas esperanças recaiam numa vitória, não obstante ter consciência do poderio do FCP e dos malabarismos que por vezes se fazem na casa dessas equipas ricas.

O 11 inicial do Maritimo causou-me alguma surpresa, entrar no Dragão sem Ponta de Lança e com três médios com as mesmas caracteristicas deixaram-me apreensivo, no entanto, confiei no trabalho de Pedro Martins.

O jogo ainda não tinha aquecido e já a defesa do Marítimo reencenava o lance que deu golo do SCP nos barreiros, e, da mesma maneira que deu  cá, deu lá, o Maritimo garantiu assim mais um record para o avançado Portista, Jackson, que abriu o activo.

A equipa do Maritimo não conseguiu encontrar equilibrio nem sair a jogar, aliás, os nossos cada vez que tocavam na bola lançavam o ataque Portista.

Muito mal se jogavam os de branco, bolas que não saiam, jogadores que faziam trapalhada, até o Roberge estalava o verniz, um cenário pouco habitual.

Não tardou muito para que Briguel fizesse das suas, e assim foi, concedeu espaço a Varela, virou as costas à bola, criou um impasse que deu espaço para o golo da noite, um golaço do extremo Portista que deitou qualquer esperança Maritimistas pelo cano abaixo.

A partir dai os de Vitor Pereira geriram a vantagem a passo e fechando sempre os espaços dos nossos.

Na segunda parte, já com Olberdam e Fidelis em campo o CSM ainda se aproximou da baliza Portista, no entanto de forma mediocre e desajeitada, as coisas continuaram iguais, com Briguel, lento e completamente batido, João Luiz a querer fazer 100m com a bola quando nem 5m consegue, um descalabro que termina com mais 3 golos dos da casa, mais um para Jackson e 2 para James Rodriguez, um deles com resultado de uma asneira infantil de David Simão, que tinha acabado de entrar em campo.

Meus caros, confesso que ontem, à  semelhança do que aconteceu no jogo com os de Coimbra, não gostei da prestação do CSM, das escolhas de PM e acima de tudo do desempenho geral, retiro deste leque Ruben Ferreira, que na minha opinião foi o mais inconformado e o mais lutador naquele campo.

O Maritimo não existiu, não jogou e foi ao FCP garantir a liderança do Campeonato ao FCP, dar recordes ao Jackson e desiludir a sua massa associativa.

Há mto trabalho para ser feito nestes dias, o treinador do CSM tem de rever as opções para vários sectores que estão a produzir pouco, designadamente arranjar uma solução urgente para a linha defensiva lateral direita, o extremo esquerdo tem de sair e acima de tudo, colocar as peças definitivas e eficazes no meio campo.

A deslocação a Bordeus pode significar a despedida da liga Europa ou a renovação da esperança, como socio e adepto, gostaria muito de ver o CSM ultrapassar esta fase de grupos e integrar o lote dos melhores da Europa, mas, sem rever as asneirdas de sexta-feira penso que não será possivél, no entanto tou confiante na vitória.

Caros sócios, perder por 5 ou perder por 1 só é prejudicial porque se perde pontos, a quantidade de golos é irrelevante, não obstante ter de servir para que se faça uma reflexão e se corrija o que possa estar mal, é esse o apelo que faço a PM.

Quando me fiz socio do MARITIMO, foi de coração e alma e nesse “compromisso” aceitei defender as cores deste meu clube nos bons e maus momentos, nas derrotas e nas vitórias, e é isso que farei, continuo a acreditar neste Maritimo e continuarei a apoiar incondicionalmente as nossas cores, seja em que campo for.

VIVA O MARITIMO

André Ladeira