Historial


Andamos, mais ano menos ano, por volta de 1900. Agora é certo que essas ‘brincadeiras’ são jogos organizados propositadamente para equipas madeirenses. As formações são constituídas por membros da classe comercial e outros elementos de categoria social assinalável.

A classe dos marítimos está cada vez mais desejosa de dispor de uma formação própria, onde pudessem alinhar os seus elementos mais dotados, capazes de vencer os ‘manatas’, alcunha usada pelos marítimos para distinguir os que viviam para além do Largo do Pelourinho.

Era uma ambição profunda, enraizada na classe, com uma dupla significação. Em primeiro lugar, a da criação de uma equipa própria; depois a da vontade de se opor aos ‘invasores’ que, sem viverem na parte mais velha da cidade, dela faziam o espaço predilecto para os seus divertimentos desportivos. Aos quais (ainda) não tinham acesso os marítimos. Mas, ainda antes de surgir uma única equipa da classe, duas formações de marítimos disputam animados jogos entre si.

Essas equipas são chefiadas por João da Costa (Meliça ou João da Meliça) e João de Castro (Bife). Ambos vão tomar parte das iniciativas que darão origem ao Club Sport Marítimo.


 Em 1908 há já indícios da existência de um tal Club Português de Sport Marítimo. Porém, a primeira referência escrita sobre esse Clube vem estampada no Heraldo da Madeira, de 27 de Agosto de 1910, na qual pode ler-se:
"Este clube de foot-ball, fundado há pouco nesta cidade, conta entre outros os seguintes elementos:
Direcção: Dionízio da Câmara Lomelino, juiz; Cândido Fernandes Gouveia, secretário; João da Costa, capitão do jôgo; José Rodrigues, Augusto Viveiros, António Fernandes, José C. Pimenta, Júlio Jesus Drumond, Luís F. Gouveia, Vasco de Castro, José B. Freitas, Manuel da Costa e Carlos da Silva, são os nomes do grupo Club Português de Sport Marítimo, que tomou parte no match de foot-ball na quinta-feira última no qual ficou vencedor por dois goals".

Esta vitória foi alcançada sobre uma equipa constituída entre os marinheiros do cruzador português Adamastor. O feito ficou a dever-se, ainda segundo o Heraldo, à "notável coragem" dos marítimos, que jogam "ansiando sempre a vitória licitamente".

Por seu turno, o Club Sports Madeira já tinha organizado, a 5 de Setembro do ano anterior (1909), um jogo de futebol entre duas equipas do clube. Uma dessas equipas era capitaneada por Humberto Passos Freitas, regressado nesse mesmo ano do estrangeiro, donde trouxe uma bola; a outra formação ficou sob o comando de George Gordon.

O prélio, que entre populares e membros da alta sociedade cativou a atenção de muitos curiosos, disputou-se na Praça de Rainha... O coreto serve para uma das balizas, ficando a outra situada em parte do barracão dos bilhares também ali localizado.

Primitiva formação do Club Sports Madeira. Só um elemento
usa a camisola às listas azuis e
brancas.

 

Página anterior Próxima página